Bem-vindo(a). Hoje é Alta Floresta - MT

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Por cobrar valor abusivo, cancelamento da concessão da Águas Alta Floresta vira assunto na Câmara Municipal

Publicidade



O empresa Águas Alta Floresta está na mira da Câmara Municipal de Alta Floresta e vem sendo alvo de críticas nos últimos meses, de vários vereadores do município em seus respectivos pronunciamentos na tribuna do poder Legislativo, durante as sessões.



Entre os vereadores que já se pronunciaram contra a empresa, estão Dida Pires (Solidariedade) Elisa Gomes (PDT) e Luiz Carlos Queiroz (MDB). Os parlamentares cobram um posicionamento do prefeito municipal, Asiel Bezerra (MDB), para o que chamam de comportamento abusivo da Águas Alta Floresta com relação ao tratamento dispensado à população.


A Águas Alta Floresta é concessionária dos serviços de tratamento de esgoto e distribuição de água no município, mas os vereadores querem que o prefeito cancele a concessão, porque a empresa não estaria obedecendo o que está previsto na lei de concessão.


Na sessão desta semana, a vereadora Elisa Gomes e o vereador Luiz Carlos, voltaram a criticar a empresa e cobram providências da administração municipal. A vereadora Elisa afirmou que a empresa não está respeitando a população e cobra um valor exorbitante de taxa de esgoto. A parlamentar também frisou que a empresa, que envia duas faturas por mês para os usuários, causa prejuízo e danos ao município, ao quebrar o asfalto para realizar seus serviços, e não fazer a recuperação devidamente.


Elisa quer que a Câmara Municipal se reúna com o prefeito Asiel Bezerra, para discutir o problema, e defende que o município reveja o contrato de concessão dos serviços. 


O emedebista Luiz Carlos, disse que a Câmara Municipal terá que tomar uma atitude com relação a empresa Águas Alta Floresta. Conforme ele, os vereadores devem se reunir com o prefeito, exercendo o papel de defensores da comunidade, e pedir que ele reveja a concessão. Na opinião do vereador, o município deve cancelar a concessão e fazer uma nova licitação para contratar outra empresa para realizar o serviço, de forma justa.


Segundo Luiz, falta respeito da Águas Alta Floresta com a população. “A empresa corta o fornecimento de água na sexta-feira e demora três dias para religar, deixando o consumidor sem o produto”, disse o vereador.


Ele disse que os valores que vem sendo praticados pela Águas Alta Floresta, são totalmente absurdos e lesivos à população. “O valor que a empresa cobra para religar o fornecimento de uma água que foi cortada e a taxa de esgoto de 98% do valor da conta de água, é inaceitável e atinge principalmente as famílias mais pobres.”, enfatiza.

Outro problema, de acordo com o parlamentar, são os pedidos de ligação para as obras do setor de construção civil. “A empresa faz pouco caso para fazer a ligação”, protesta. 

Para Luiz Carlos, é dever dos vereadores se reunir com o prefeito municipal e cobrar que o executivo reveja a concessão”. De acordo com ele, o executivo municipal não pode continuar aceitando que esta situação continue na cidade. 


Segundo Luiz, em Várzea Grande, onde a mesma empresa tem a concessão do serviço de água e esgoto, o valor da taxa de esgoto é 50% menos do que é cobrando em Alta Floresta.
Mato Grosso do Norte ligou para o escritório da Águas Alta Floresta para saber o preço da taxa de religação. Segundo a pessoa que atendeu a ligação, é cobrado para ligar o cavalete quando o fornecimento é cortado, R$ 76,00. No cancelamento de ramal há tempo sem uso, o valor sobe para R$ 112,00.


Em Colíder, onde a mesma empresa é concessionária dos serviços de água e esgoto, o valor da taxa de religação é de R$ 64,00.


A reportagem do jornal Mato Grosso do Norte tentou contato com a assessoria da empresa, mas não obteve resposta até no fechamento da edição.

José Vieira do NascimentoEditor Mato Grosso do Norte
Por cobrar valor abusivo, cancelamento da concessão da Águas Alta Floresta vira assunto na Câmara Municipal Por cobrar valor abusivo, cancelamento da concessão da Águas Alta Floresta vira assunto na Câmara Municipal Reviewed by Jornal Alta Notícias on sexta-feira, agosto 09, 2019 Rating: 5

Deixe um comentário abaixo:

Publicidade

ANUNCIO AQUI

Publicidade

Autor